De onde acessam?

Seguidores

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Petrobras: superação

PETROBRAS: Desde o começo a nossa história está repleta de superação. Chegamos a importantes conquistas porque superamos obstáculos década após década. Hoje os desafios são outros. Acesse www.petrobras.com.br/superacao e confira o que já estamos fazendo para aprimorar nossa governança e ampliar nosso desempenho operacional.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

#WebFor2014, em Fortaleza, dias 23 e 24 de maio

Venha debater a democratização da mídia e outros temas no ‪#‎WebFor2014‬, em Fortaleza, dias 23 e 24 de maio(sábado e domingo), inscrição gratuita pelo e-mail: webfor2015@gmail.com. Convide e compartilhe entre seus amigos: https://www.facebook.com/events/820806711315267/?fref=ts

domingo, 25 de janeiro de 2015

Brasil apresentará políticas sociais na 3ª Reunião de Cúpula da Celac

As políticas sociais do governo federal que nos últimos anos retiraram milhões de pessoas da pobreza, tiraram o Brasil do Mapa da Fome Mundial e elevaram o poder aquisitivo da população, serão apresentadas pela presidenta Dilma Rousseff na 3° Reunião de Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). O encontro terá como tema “A Luta contra a Pobreza” e acontecerá nos dias 28 e 29 de janeiro, em São José, capital da Costa Rica.
Nesta sexta-feira (23), em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o subsecretário-geral da América do Sul, Central e Caribe do Itamaraty, embaixador Antônio Simões destacou também que, além dos avanços em políticas sociais, o Brasil está empenhado na promoção de cooperação com os países da Comunidade nas áreas da agricultura familiar, direito dos afrodescendentes, desenvolvimento sustentável e energético.
O embaixador ainda destacou avanços comerciais obtidos pelo Brasil nos últimos anos por meio do estreitamento das relações com o bloco. De 2002 a 2014, o comércio do Brasil com a Celac mais que quadriplicou, saindo de U$$ 20 bilhões em 2002 para U$$ 84 bilhões no ano passado, o que representa mais de 18% das trocas comerciais do Brasil com o mundo.
Na coletiva, Simões lembrou a realização da próxima reunião de Cúpula Brasil – União Europeia, que acontecerá em junho, em Bruxelas.
Sobre a Celac
Trata-se de organismo internacional de cooperação formada por 33 países da América Latina e do Caribe. A comunidade foi criada em 2010, na Cúpula do México, e tem como objetivo aprofundar a integração política, econômica, social e cultural dos países da região.
Além disso, o bloco tem avançado, nos últimos anos, à favor de políticas públicas e projetos de cooperação internacional, com base nos valores democráticos e nos direitos humanos.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Este ano já está marcado pela forte disputa política, avalia Nivaldo

“Nesse início de governo, produto de uma correlação de força mais complexa, o governo Dilma Rousseff tem feito concessões que prejudicam o desenvolvimento e afetam os trabalhadores”, essa é a avaliação de Nivaldo Santana, secretário nacional Sindical do PCdoB, ao fazer balanço da conjuntura política nestes primeiros 21 dias de 2015.
Por Joanne Mota da Rádio Vermelho
Nivaldo Santana lembra que é um início de governo difícil. “Mesmo antes de tomar posse, a presidenta Dilma enfrentou uma oposição golpista que tem como objetivo desgastar o governo e desestabilizar as forças políticas presentes”. Mas alerta: “É preocupante a proposição de medidas que toquem nos direitos consagrados dos trabalhadores”.
Segundo ele, “em 2015, o movimento sindical precisará atuar em duas frentes: combater a direita golpista e conservadora sem perder de vista sua luta por direitos e a defesa de suas conquistas”. E completa: “Entendemos que as medidas para equilibrar as contas públicas devem partir da taxação, por exemplo, das grandes fortunas ou de medidas no sentido de onerar mais o capital especulativo”.
O dirigente nacional do PCdoB avalia que, “esse ano, a frente heterogênea de sustentação do governo será marcada por forte disputa política e de projeto”.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Mantega merecia respeito na sua saída

Por Renato Rovai, em seu blog:
Guido Mantega deixou o governo de forma melancólica após 12 anos ininterruptos atuando na área econômica. Primeiro, como ministro do Planejamento; depois, como presidente do BNDES, e desde 27 de março de 2006 como ministro da Fazenda, o mais longevo da história democrática brasileira.
Nos últimos tempos, se tornou alvo de empresários e banqueiros e passou a ser tratado como responsável por todas os problemas da economia do país, que de fato existem, mas são muito menores do que os de outras bandas.
A questão que parece ter sido definitiva para esse mal estar com o ex-ministro foi a tentativa que o país fez de baixar os juros em meados de 2012, quando a taxa chegou a 7,5%, o que levava o juro real a menos de 2%, já que a inflação de 2012 fechou em 5,84%.
Esse momento da história econômica brasileira ainda precisa ser melhor contado. Ali, o governo realizou uma das maiores ousadias do ponto de vista da ação do Estado para enfrentar o rentismo. E foi bombardeado pela mídia, sempre fiel aos banqueiros, mas também pelos setores produtivos.
Qual foi o papel de Mantega e de Dilma naquela decisão? O que aconteceu para que depois os juros voltassem com força? Houve erro na condução econômica? Foram os problemas externos que impediram aquele movimento? Custou caro aquilo para o país ou valeu ter tentado?
O fato é que, errada ou não, a diminuição dos juros brasileiros sempre foi defendida por 10 entre cada 10 intelectuais de esquerda, principalmente os da área econômica.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Blog da Dilma agradece

Queremos começar o ano de 2015, agradecendo de coração alguns companheiros e companheiras que contribuem financeiramente para manter a estrutura das Redes Sociais e o Portal do Blog da Dilma no AR, que acreditam no trabalho e na seriedade dos editores(as) do blog, que não é fácil manter em atividades desde 2006, sem ajuda dos Governos Federal, Estadual e Municipal, nem do Partido dos Trabalhadores e políticos.
Que o Eterno D'us continue abençoando ricamente a todos esses amigos e amigas:
Sônia Sampaio, Eduardo Kenick, Elizabete José, Paulo Roberto, Aloisio Ilha, Ivone Chagas Belém, Saul Vibranovski, Silvia Margareth Marques Marinho, Samira El Ammar Müller, Maria Luiza Brandão Lopes, Manoel Messias Nunes da Silva, Roger H Knupp Rocha , Nadja de Almeida Chediak, Antonio Augusto Barella, Wellington Genuino Dourado e alguns anônimos que não quizeram se indentificarem.
Carinhosamente,
Daniel Pearl Bezerra - editor nacional
Telefone: 85-98560002(TIM)
E-mail: blogdadilma13@gmail.com
Blog da Dilma: http://www.blogdadilma.com/
@blogdadilma13 @blogdadilmapt @BlogDilmaBR2 @BlogDilmaBR3 @DanielPearl2

sábado, 27 de dezembro de 2014

Lula: PT tem que se aliar a movimentos sociais “se quiser continuar governando o Brasil”

De A Tarde: by DCM


Cerca de 40 líderes de movimentos sociais, centrais sindicais e partidos como PT, PSOL, PC do B e PSTU começaram a articular a criação de uma frente nacional de esquerda e já preparam uma série de atos e manifestações para 2015. O objetivo dessa mobilização é o de se contrapor ao avanço de grupos conservadores e de direita não só nas ruas, mas no Congresso e no governo federal.

A primeira reunião do grupo ocorreu na semana passada, em um salão no Largo São Francisco, no centro de São Paulo. Participaram lideranças do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Central de Movimentos Populares (CMP), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Levante Popular da Juventude, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Via Campesina, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Consulta Popular, Intersindical e Conlutas, além de representantes dos quatro partidos e integrantes de pastorais sociais católicas.

A iniciativa partiu de Guilherme Boulos, do MTST, que no sábado havia feito elogios ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na inauguração de um conjunto habitacional gerido pelo movimento, na Grande São Paulo. Dias depois, Lula, que é cotado para disputar o Palácio do Planalto em 2018, divulgou vídeo no qual diz que é preciso “reorganizar” a relação com os movimentos e partidos de esquerda se o PT quiser “continuar governando o Brasil”. Boulos não quis comentar a criação da nova frente. “Isso ainda não foi publicizado”, disse.

Participantes da reunião negam que a frente tenha caráter eleitoral. Segundo eles, a frente popular de esquerda (ainda sem nome definido) vai agir em duas linhas. A primeira é atuar como contraponto ao avanço da direita nas ruas e no Congresso. Após os protestos contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff, esses grupos também preparam maior articulação.
A segunda é buscar espaço dentro do governo Dilma para projetos que estejam em sintonia com a agenda da esquerda, como reforma agrária e regulação da mídia. “Vamos fazer a disputa dentro do governo”, disse Raimundo Bonfim, da CMP. Os movimentos que participaram da reunião preparam um cronograma de manifestações que começa com atos pela convocação de uma constituinte exclusiva para a reforma política na posse de Dilma, no dia 1.º.

Em 1º de fevereiro, quando tem início a nova legislatura, um ato no Congresso vai pedir a cassação do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) por quebra de decoro. “Em torno destas atividades deve se buscar uma unidade. O primeiro semestre deve ser de muita instabilidade política”, disse o deputado Renato Simões (PT-SP). Segundo ele, outra missão da frente de esquerda será enfrentar na rua o “golpismo” representado, segundo ele, por grupos que pedem o impeachment de Dilma.

A previsão de instabilidade tem base nos desdobramentos da Operação Lava Jato. No ano que vem a Procuradoria-Geral da República deve se pronunciar sobre políticos citados no caso.

Segundo o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), que também participou da reunião, os grupos e partidos sem ligação com o governo vão cobrar apuração e punição dos desvios, mas sem estímulo à venda do patrimônio estatal. “Não vamos permitir que os escândalos sejam usados para privatizar a Petrobras.”

Quem somos nós

Quem somos nós
Um casal a beira de um ataque de nervos

NAVEGAR É PRECISO, VIVER NÃO É PRECISO